Pages Navigation Menu

Penso, logo duvido.

Fragmentos da Semana – Inami S. Magalhães

Inami S. Magalhães
Autora do site mais visitado da América Latina

 Mulher negra - autor desconhecido.

Mulher negra – autor desconhecido.

A semana aqui, no blog revista Será?, começa na sexta feira, pois os seus editores resolveram fechar o recebimento de artigos na quinta a noite. Costume estranho, mas cada qual com o seu hábito. Não vou reclamar. Mesmo porque se reclamar muito eles me colocam para fora. Por isso, o leitor ou leitora não deve se espantar com os fatos narrados. Podem ser da semana tradicional ou não. Por outro lado, às vezes, pesco notícias de semanas anteriores que não foram suficientemente debatidas na mídia, de meu ponto de vista.

Espero não deixar ninguém com mais stress do que o habitual. Este País não aguenta mais esta crise infindável, e a sucessão de golpes. A Presidenta diz que impeachment é golpe, apesar da Constituição e decisões do STF. Não importa. Agora é o vice-presidente que fala que eleições gerais é golpe. O porteiro de meu prédio diz que o Síndico está preparando um golpe contra ele. E por último ouvi falar que nas Olimpíadas não vai ter mais judô nem jiu jitsu. Porque não pode haver golpe. Na verdade, golpe foi o que deu a empreiteira da ciclovia que caiu na primeira onda, no Rio de Janeiro. Golpe no bolso do contribuinte.

Anastasia, senador do PSDB por Minas Gerais, eleito relator da Comissão Especial de Impeachment do Senado está com sorte. Para muitos lembrou os 7×1 da Alemanha. Foi eleito – por burrice do PT – por 16 contra cinco. Está com sorte o professor de direito constitucional da UMFG. O PT se revoltou porque queria colocar no lugar dele o engraxate, senador por Roraima das hostes do PDT. Aquele mesmo que está querendo expulsar seis deputados que votaram a favor do impeachment.

Mas, governador do DF também está com sorte, pois, o muro que ele fez para separar as torcidas pro e contra o impeachment deu certo. Nenhum incidente. Obra da pernambucana que detém hoje o posto de Secretária de Segurança Pública no DF. Dizem as más línguas que foi a primeira obra do governador. Durou pouco.

Sorte mesmo tem o Henrique Meireles. Todo mundo sabe que ele deixou a presidência do Banco de Boston, não é pouca coisa, com sonho de ser presidente do Brasil. Acertou com o pessoal do PSDB de Goiás para ser candidato a governador. Não deu, mudou para senador e acabou como deputado federal. Convidado por Lula, perdeu a mamata de deputado para ser presidente do Banco Central. Único cargo no Governo Federal que exige isso do deputado. Agora, está sendo convidado pelo Temer para ser o Ministro da Fazenda, agora no PSD. E tem mais. Se a Dilma não cair –Deus existe – ele será o seu ministro da Fazenda, conforme o futuro primeiro ministro Lula da Silva. Com duas diferenças. No governo de Temer ele mandará de fato na política econômica. Como FHC na época do Collor. No caso da Dilma ninguém sabe, pois, a Presidenta é economista e acha que ninguém melhor do que ela para entender do assunto. Vide a situação econômica do Brasil

E tem outra diferença. No caso do Temer vai ter muita gente protestando na rua. No caso da Dilma, nem tanto. Mas a política será a mesma.

Mas o Lula não sossega. Dizem que telefonou recentemente para Dilma. “Ô Dilma. Tive uma ideia para a gente ganhar contra o impeachment”. “Diga aí Lula, qual é a ideia brilhante que você teve. Porque de sua cabeça só sai ideia brilhante”. “É o seguinte, para a gente ganhar só tem um jeito. Você vai chamar a imprensa nacional e internacional e declarar que está a favor do impeachment. É batata”.

Lula contou ainda duas histórias de infância para ilustrar e defender a sua honestidade: a primeira foi de que, quando menino desejava comer maçã e não tinha dinheiro para comprá-la na feira; a segunda foi a de querer mascar “chiclete americano” quando cuidava de uma venda da família. Nos dois casos, afirmou que reteve o ímpeto de furtar os objetos “com medo de envergonhar” a mãe. A mãe de Lula morreu em 1980.

O ministro Aragão, aquele que queria demitir todo mundo da PF, caso sentisse cheiro de vazamento – meus amigos pensam que o único vazamento que tem cheiro é o de esgoto –  disse que o impeachment é “uma violência e uma enorme injustiça com talvez a única pessoa que não deva nada a ninguém”. Por que esta gente do governo tem mania de se achar melhor do que os outros? O Delcídio, nem o seu chefe de gabinete, meu queridinho Diogo, pensa da mesma forma. E a compra de Passadena? E o documento para o chefe não ser preso? E o Navarro no STJ para impedir o Marcelo de continuar preso? E o dinheiro para comprar o silêncio do Delcidio e do Ceveró? Nada é verdadeiro? É tudo invenção do povo?

O domingo 17 de abril ficará conhecido no futuro como o dia do Circo dos Horrores. Nunca se viu tanta feiura e mal gosto na TV, de uma só vez. De forma tão concentrada. E olha que a TV brasileira é um festival de besteiras que assolam o País. A xingação veio da imprensa internacional. Aí não concordo. A Câmara dos Deputados não representa o País. O Brasil não tem aquele % de empresários, de doutores e advogados. Dos que ali estão e botaram a cara feia poucos seriam eleitos se não houvesse financiamento de empresas.

Tou fechando com a Universidade do Arizona que tem estudos mostrando que por sorteio se terá um Parlamento tão bom quanto eleito. Zero de diferença na ruindade. E custa muito menos. Bota menos nisso.

97% dos deputados que votou em nome da família, quem me disse foi minha amiga cafetina, tem amante em Brasília.

A mulherada deveria protestar e a primeira deveria ser a Presidenta. Como é pode a “primeira dama do Turismo” tirar fotos daquele jeito no gabinete do marido ministro? É de mau gosto e depõe contra as mulheres. Eu não deixei por menos. Fui lá pessoalmente para apresentar meus protestos. Deixei um abaixo assinado de minhas colegas. Colhi mais de 100 mil assinaturas. Foi um arraso. Só a imprensa não deu a notícia. Imprensa golpista, claro.

Há na Câmara 102 deputados filiados a partidos de oposição. O impedimento da Presidente foi aprovado por uma massa de impressionantes 367 votos. Nessa conta há 265 Silvérios. Quer dizer: o governo financiou os traidores que agora estão tramando o que chamam de “golpe”. Dilma foi picada pelas serpentes “golpistas” que os esquemas da era Lula engordaram. A mais venenosa chama-se Eduardo Cunha. Mas tem mais, muito mais.

No cabelereiro a bagunça era geral. O pessoal do PT diz que Temer não presta, e bandido, traidor. Mas quem foi que convidou ele para ser o vice-presidente? Só é bandido agora? Eu, heim!

O jornal Sensacionalista, aquele isento de verdade, vai fechar. A realidade é mais imaginativa do que seus periodistas.

2 Comments

  1. Goostei muito da Inami, lembra-me um pouco o Macaco Simão, emboa bastante mais fina. Sarcasmo e humor sejam bemvindos à Patria Educadora

  2. Gostei. Inani tem verve.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *