Pages Navigation Menu

Penso, logo existo.

Calinadas da semana III – Encômio a SPP

Encômio a SPP

Charles Darwin.

O ministro da CGU, Wagner Rosário, declara que político, com cargos no Parlamento e no Executivo, só deve ter foro privilegiado em caso de corrupção. Zefinha, da banca de queijo da feira, não entendeu nada. “Eu pensei que eles tinham foro especial para a livre expressão e não para o livre roubo”.

Nos Estados Unidos, os cães farejadores estão perdendo o emprego com a legalização da maconha. Poderíamos contratá-los, já que estamos ainda persistindo na política fracassada de combate às drogas, que enche as cadeias com pessoas que praticam o comércio ilegal, e os cemitérios com a briga entre gangues, assassinato de devedores e balas perdidas. Política que não controla a venda e o consumo da erva, que só aumentam.

O lado evangélico do governo Bolsonaro cresce. A ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos disse que as instituições humanas falharam, mas as de Jesus não. Estamos saindo do Estado laico para o religioso. E quem não acredita em Jesus, como fica? Vai para Nova Zelândia?

O perigo de a missão de Moro não dar certo no governo aumenta. Indícios de propina nas mãos do filho e da mulher do presidente complicam a situação. Vão prender a primeira dama? Ou ela se torna ministra para ter foro especial?

“Ih! Começou a velha política”, disse-me Maria, a costureira. Por que, Maria? “Ora, professor, não viu a explicação do home?  ‘Fiz um empréstimo e agora o acusado está devolvendo em cheque para minha mulher’. E sem declaração à Receita. Já ouvi esta história antes”.

E a Lava Jato parece que ganhou vitalidade. Na segunda semana de dezembro já prendeu o prefeito de Niterói e auxiliares:  aquele que foi do PT por mais de 20 anos e ingressou no PDT em 2017, com elogios rasgados de Ciro e agora bate nos endereços de Aécio, Paulinho da Força e Cristiane, a ministra que nunca foi.

Temer, aquele que planeja fugir para Portugal, pode ter um empecilho: as autoridades da “terrinha” estão em vias de sustar o visto para brasileiros. Com ele, se possível, deve ir uma tropa. Todos aqueles que concluem o foro privilegiado em 31 de dezembro, e estão sendo investigados.

Um cronista do BR247 publicou artigo em que afirma que pior do que Bolsonaro são os que nele votaram. Como não pode mudar de povo – coisa que todos os perdedores desejam –  o tipo deve estar pensando em mudar de país.

Os ministros, quase ex-ministros, do Temer, têm dois destinos: ou vão ser secretários em governos estaduais recém-eleitos, sobretudo em São Paulo e DF, ou vão para a prisão, como o ministro em exercício do quase ex-Ministério do Trabalho.

Os petistas já estão preparando um pedido de impeachment do Bolsonaro. Foram mais de 20, no governo FHC. Força do hábito.

*

One Comment

  1. Essas calinadas têm um toque do inesquecível Millôr.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *